Vereador desmente fakenews após diretor do CRM-PB explicar a motivação da interdição do Hospital de Mulungu

Desde que a Unidade Hospitalar Eitel Santiago de Mulungu foi interditada pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), surgiram inúmeros comentários em grupos de whatsapp, em que supostamente o vereador Léo Moura teria sido o autor da denúncia que culminou na interdição ética da unidade.

O diretor de fiscalização do CRM-PB, Dr. Bruno Leandro de Souza, concedeu uma entrevista ao repórter Zé Roberto da rádio Constelação FM, na ocasião, foi explanado que o Hospital já havia sido notificado pelas irregularidades do não atendimento de urgência durante a semana, “toda vez em que o CRM chega a uma unidade de saúde e percebe que há um risco com o trabalho dos médicos, falta de medicamentos, falta de condições de trabalho ou pela não completude das escalas médicas que foi o caso de Mulungu, nós temos que fazer algum tipo de intervenção, quando essa inconformidade é grave temos que fazer a interdição, o que acontecia em Mulungu é que existia uma indicação de urgência e emergência, porém não existia médicos de segunda a sexta nos períodos diurnos”, pontuou.

Dr. Bruno Leandro acrescentou que esse trabalho de fiscalização tanto é feito através de denúncias como de forma proativa, que foi feita a denúncia no ano passado, a notificação foi entregue a secretaria de saúde do município, porém nenhuma medida foi tomada, culminando na interdição.

não é essa nossa primeira medida a ser tomada, como permanece a irregularidade, não tivemos como tomar outra atitude

Dr.Bruno Leandro

O vereador Léo Moura que rompeu recentemente com o grupo do prefeito de Mulungu Melquíades Nascimento, afirmou que o grupo do gestor vem espalhando mentiras ao seu respeito e que vai entrar com uma ação judicial, “quero esclarecer uma mentira que o grupo do prefeito está espalhando, dizendo que denunciei para fechar o hospital, mas como todos ouviram agora pouco o diretor de fiscalização do CRM dizendo que é uma denúncia do ano passado e que a prefeitura não tomou providências, o CRM disse que esse serviço não pode funcionar pela metade porque oferece risco a população, vou entrar com uma ação contra essas pessoas que estão nas redes sociais espalhando essas mentiras”, disse Moura.

O fato é que enquanto alguns aliados do governo municipal de Mulungu, estão tentando encontrar “culpado” para justificar a falta de comprometimento do prefeito em atender ao que foi determinado pelo CRM-PB, a população continua sofrendo com a interdição da Unidade Hospitalar.

One thought on “Vereador desmente fakenews após diretor do CRM-PB explicar a motivação da interdição do Hospital de Mulungu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *