Geral

Lula pede pressa para conclusão de ferrovia antes de ‘coisa ruim’ voltar à Presidência

presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou nesta segunda-feira (3) da cerimônia de início das obras de um trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), em Ilhéus (BA), e pediu que a construção seja finalizada até o fim do mandato dele, em 2026, antes que uma “coisa ruim” assuma a Presidência e não conclua a ferrovia.

“Parem de dizer que vão entregar [a ferrovia] em 2027, vocês têm que entregar antes de 31 de dezembro de 2026. Façam um pouco de hora extra, trabalhem no fim de semana se for necessário, para que a gente possa inaugurar logo. Senão, a gente corre o risco de uma outra coisa ruim voltar neste país e ela ficar parada outra vez”, disse Lula.

O presidente não citou o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Nos discursos de eventos oficiais desde que tomou posse, Lula tem evitado falar do adversário dele nas eleições de 2022, mas costuma se referir ao governo do antecessor com outros termos. Nesta segunda, ele reclamou, por exemplo, que o Brasil “foi tomado pelo ódio e pela mentira” nos últimos anos.

“Nós agora estamos restabelecendo o país. Precisamos garantir aos empresários uma coisa chamada estabilidade. Estabilidade política, econômica, jurídica e social. Este país, com tranquilidade, não é possível ter país que possa vencer o Brasil. Mas, para isso, é preciso ter um presidente que tenha caráter, credibilidade, que não minta, que converse com o povo.”

Ferrovia de Integração Oeste-Leste

As obras iniciadas nesta segunda são do lote 1F do primeiro trecho da Fiol. O lote 1F conta com 127 km de extensão e vai passar por Ilhéus, Uruçuca, Ubaitaba, Gongogi, Itagibá, Aurelino Leal e Aiquara. As obras contam com investimento inicial da ordem de R$ 1,5 bilhão e têm previsão de durar 36 meses.

No total, a Fiol terá cerca de 1.527 km de extensão. A ferrovia vai ligar o futuro porto de Ilhéus ao município de Figueirópolis (em Tocantins), ponto em que se conectará com a Ferrovia Norte-Sul.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o governo federal trabalham para a concessão dos outros dois trechos: a Fiol 2, entre Caetité e Barreiras (BA), com obras em andamento, e a Fiol 3, de Barreiras (BA) a Figueirópolis (TO), que aguarda licença de instalação.

Segundo o governo, a integração ferroviária vai consolidar um corredor de escoamento de minério da região sul do estado e de grãos da região oeste. Quando ela estiver em plena operação, estima-se uma redução de 86% na emissão de gases de efeito estufa na atmosfera.

Fonte: R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.