Dois meses após crime, viúva de Kelton Marques desabafa: “É revoltante”

Nesta segunda-feira (08), data em que se aproxima de dois meses da morte de Kelton Marques, parentes e amigos do motoboy se mobilizaram na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho – Retão de Manaíra – em João Pessoa, na Paraíba, para pedir justiça pela morte do entregador.

Kelton foi atropelado por um carro a 163 km/h que ultrapassou o sinal vermelho. O motorista do veículo, empresário Ruan Ferreira de Oliveira, fugiu do local. Ele chegou a ter a prisão preventiva decretada, mas segue foragido da Justiça.

Durante o protesto desta segunda-feira, organizado por motoboys, amigos e familiares, faixas e cartazes expressavam o sentimento de saudade e o desejo de justiça.

A viúva do entregador, Tatianne Andrade, disse estar inconformada com a dificuldade das autoridades de segurança pública de localizar e prender o suspeito. Em entrevista ao programa Hora H, da Rede Mais Rádio, ela expressou sua indignação com o caso.

“O sentimento é de revolta, porque ele ainda está foragido. A gente ainda não tem uma resposta da polícia quanto a prisão desse assassino. A gente vê em cada protesto, entrevista, pessoas clamando por justiça, para que a policia prenda esse assassino, para que o governador João Azevêdo dê uma assistência melhor para esse caso, para esse crime feito com meu marido. É um sentimento de revolta, de luta e de luto.”

A manifestação começou por volta das 16h30 da tarde desta segunda-feira (08), no Retão de Manaíra, local em que o motoboy sofreu a colisão e faleceu. A movimentação foi acompanhada por agentes de trânsito da SEMOB.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Polícia Civil afirmou que não se pronunciará sobre o caso.

Fonte: João Cunha – MaisPB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *