Adolescente confessa ter tentado matar o filho de quatro anos

A adolescente de 15 anos confessou que tentou matar o filho de quatro anos cravando uma caneta no pescoço do menino. O caso aconteceu  na manhã deste domingo (17) em um abrigo fica no bairro Pedro Gondim, em João Pessoa.

Ela informou, em depoimento, que queria acabar com o sofrimento que sentia quando via a criança, fruto de um abuso sexual praticado pelo padrasto. As informações são da Promotora da Infância, Ivete Arruda.

“Trata-se de uma adolescente com uma vida com algumas marcas. Ela foi estuprada pelo padrasto, e é desse padrasto que ela tem esse filho. É uma pessoa com conflitos enormes no seu psiquê. Ela realmente confessou o que fez. Ela externou a dor que sentia quando via o filho. Ela enxergava o agressor quando via o menino. Quando olhou pra ele, veio à mente tudo o que ela tinha vivido em relação ao padrasto, as agressões, os estupros, o que ela ouvia da mãe. Tudo isso veio ao mesmo tempo e o sentimento de que tudo aquilo tinha sido por causa dele”, explicou.

A menina se mostra arrependida, conforme disse a promotora, mas irá responder pelo ato. “Ela chorou várias vezes durante a nossa conversa. Ela vai responder pelo ato cometido. Nós estamos representando pela internação definitiva dela e ela vai passar por essa internação, mas sendo tratada, acompanhada por psiquiatra, psicólogos, assistentes sociais, para que ela possa sair desse conflito interior e se livrar desse sentimento de culpa desde o estupro ao sentimento atual. É uma bandeira de SOS que ela levanta, por tudo que passou. Ela ama o filho. Ela externou isso por diversas vezes, mas o sentimento era de tirar tudo da vida dela para que a dor sumisse”, revelou a promotora.

Criança está internada

Conforme o boletim médico divulgado pela assessoria de comunicação do Hospital de Emergência e Trauma da Paraíba é grave o estado de saúde da criança de apenas quatro anos que teve uma caneta cravada no pescoço. A vítima passou por procedimentos de emergência e segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na ala pediátrica.

O caso

Além da caneta cravada, a criança estava com fios enrolados no pescoço. O caso aconteceu dentro de um quarto no abrigo onde a criança e a mãe estão acolhidos há pelo menos oito meses. O abrigo fica no bairro do Pedro Gondim, em João Pessoa.

De acordo com entrevista que a delegada Joana Darc deu à TV Tambaú, a situação será tratada como tentativa de homicídio. Testemunhas informaram que nas primeiras horas da manhã foram comunicadas pela mãe da criança que o garoto acordou machucado. Funcionários e voluntários da instituição se dirigiram ao quarto e encontraram o pequeno com a caneta cravada e fios das conexões de internet envoltos no pescoço.

Fonte: Portal T5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *